Twitter

    Ads


    adsense link 728px X 15px

    Blogroll

    Ads Here

    Headline

    Download

    Label Cloud

    28 de ago de 2008

    Que política de desporto no concelho da Moita?

    Texto publicado no www.rio.pt

    Neste meu texto faço um apelo à reflexão séria e apartidária do que deve ser o desporto para todos, o que passará por uma grande inter-ligação entre o poder local, as colectividades, e as escolas.

    Ao ler 3 artigos no último nº do jornal O RIO, todos sobre desporto, entendi por bem comentar os mesmos.

    Vamos ao primeiro artigo, o assinado por Vítor F. Barros (pag. 9) com o sugestivo título “(in)competência da Câmara da Moita”. Nele é narrado o caso de 3 atletas do Ginásio Atlético Clube da Baixa da Banheira, atletas que vão envergar a camisola da nossa selecção nacional no campeonato do Mundo de Trampolim e de Tumbling a realizar no Canadá. Conta-nos o articulista a necessidade de certas particularidades que os 2 treinadores daqueles 3 atletas precisam para o seu treino específico daquelas modalidades, e que pensaram nas antigas e abandonadas instalações da GEFA ou em alternativa no velhinho pavilhão municipal. Com todo o seu entusiasmo e força de vontade, pensaram na vereadora da cultura e desporto e terão ficado muito animados com a aparente disponibilidade da dita senhora. Mas, na resposta posterior, forçada, esta disse-lhes, que não tinha solução. Se ficaram surpreendidos é por que certamente não sabem o que a “casa gasta”.

    No segundo artigo, da responsabilidade da redacção (pág. 13), encontrei outro tema sobre desporto, com o título “União Desportiva e Cultural Banheirense queixa-se de dificuldades na utilização do campo municipal”. É então relatado as dificuldades de uma equipa totalmente amadora e representativa da Baixa da Banheira no distrital de futebol sénior, depreende-se. Faltam acomodações mínimas para que este clube guarde as bolas e equipamentos para os treinos, compartindo aquele espaço municipal com outro clube do Vale da Amoreira, só podendo treinar às 22:30 quando a sede fecha às 23:30. Além disso têm que pagar por cada hora que utilizam o dito campo municipal em cima dos custos das elevadas inscrições com os seus atletas amadores. Assim se apoia o desporto de todos e para todos, o que as colectividades e alguns carolas fazem de graça pelas populações, quando outros, eleitos por estas, ganham e bem para não lhes darem soluções e os apoios devidos. Este clube não demonstra já no dito artigo surpresa, mas sim indignação, pois conhece de ginjeira o que a “casa gasta”.

    Como estes 2 casos ilustram, é este o cenário geral com que os clubes e associações do nosso concelho se deparam. Quantos casos seriam precisos enumerar mais? O caso do campo do Moitense que se arrasta há mais de 1 dezena de anos? Ou o do CRI, em Alhos Vedros, que busca apoio da Câmara há muitos anos também para ter um campo em condições? Ou o para o Banheirense? Em Sarilhos-Pequenos é onde existem as melhores condições para a prática desportiva, mas tal deve-se exclusivamente à carolice dos Sarilhenses em geral e de alguns notáveis locais em particular.

    Há anos que muitas instalações para a prática desportiva das populações deste concelho se arrastam de promessa em promessa eleitoral, com dotações ridículas nos orçamentos e planos de actividades da Câmara, como a piscina da Moita, a pista de atletismo de Alhos-Vedros, o pavilhão multi-usos da Baixa da Banheira, etc.

    Vejam-se os subsídios que vão sendo dados às colectividades, tipo caridadezinha, distribuindo migalhas por muitos, não dando “nada de jeito” a ninguém. A C.M.Moita distribui 15.000 euros (não andará muito longe) às colectividades e associações do concelho. Meus amigos, 15.000 euros (pouco mais ou pouco menos) são 3.000 contos, por dezenas de colectividades. Para quê? Para fazerem o quê com tão “grande pecúlio”? Que apoios concretos tem a Câmara para oferecer às colectividades/clubes/associações que apresentem um plano de desenvolvimento desportivo a sério para os jovens?

    Por fim vou ao 3º artigo do Jornal O Rio última edição (pag.12), o sobre as vaidades do executivo da Câmara Municipal da Moita, e que é a contradição do atrás exposto. Trata-se da organização das Minis e Meias Maratonas, este ano juntamente com a organização também da Taça dos Clubes Campeões Europeus de Estrada. Apesar do apoio de uma grande imobiliária a operar neste concelho, quanto custou esta organização, para mim “feira de vaidades”, ao erário público, aos cofres da Câmara? Para que serve isto se a Câmara não tem uma pista de atletismo no concelho, ou de crosse, entre outras gritantes carências, nem fomenta ou apoia as colectividades/clubes e associações locais? Que faz para ligar estas e as escolas do concelho, aproveitando as suas infra-estruturas e corpo docente? Que condições se criam neste concelho para o desenvolver economicamente, atraindo investidores que não seja no betão, no encaixotamento de pessoas em urbanizações sem as necessárias infra-estruturas de apoio?

    Qual o trabalho que a C.M.Moita verdadeiramente, não teoricamente, faz de incentivo e desenvolvimento desportivo (de competição ou manutenção) pelos seus cidadãos? Que planos, que apoios tem para aqueles que apresentem projectos sérios, inovadores e abrangentes de desenvolvimento do desporto no concelho? Alguns defendem que vão faltando os “carolas” que façam coisas a sério nas colectividades, mas com estes apoios o que se espera? Se a Câmara também pensa assim, o que é que faz para inverter essa tendência e criar condições, com os seus muitos profissionais, alguns desaproveitados, a “promover” o desporto nos gabinetes, para dinamizar a práticas desportiva em geral no concelho? Eu, e muitos, permito-me duvidar que tenha interesse, ou competência para tal.

    Os 3 casos dos artigos atrás descritos provam tal. Mas com a Taça dos Clubes Campeões Europeus de Estrada, o Sr. presidente da Câmara passou na televisão, isso é que interessa, é isso que promove a terra? A “festa” passou e o atletismo no concelho ficou na mesma.

    >António Duro in: www.orio.pt

    22 de ago de 2008

    Notícias do 1º Maio Sarilhense

    O inicio dos trabalhos das equipas de Seniores e Juniores do 1º Maio Sarilhense:
    Seniores-
    - Inicio dos trabalhos - 18/Agosto/08; Treinos Diários
    - Jogo Treino - 1º Maio Sarilhense / C.O.Montijo - 23/08/2008 - Sábado - 10 Horas - Brechão.
    Juniores -
    - Inicio dos trabalhos - 26/Agosto/08 - Treinos diários
    Os Escalões de Escolas (Castanheiro) - Inicio 1/Setembro/08

    2 de ago de 2008

    Fotos Torneio Ribeirinho 2008

    Últimas dos blogs locais

    Followers

     

    Copyright © 2009 by Moita / Desporto