Twitter

    Ads


    adsense link 728px X 15px

    Blogroll

    Ads Here

    Headline

    Download

    Label Cloud

    23 de out de 2007

    Da (in)competência da Câmara da Moita

    Faltam poucos dias para os três atletas do Ginásio Atlético Clube da Baixa da Banheira – a Cátia, a Patrícia e o Humberto – envergarem a camisola da selecção portuguesa no Campeonato do Mundo de Trampolins e de Tumbling a realizar no Canadá.

    Esta última modalidade tem as suas especificidades e exige especiais condições de treino, nomeadamente uma pista de 30 metros permanentemente montada. Ora o espaço coberto do Ginásio só permite metade da pista, que tem de ser armada e desmontada pelo atleta e pelo professor em cada dia de treino.

    Não havendo as condições mínimas indispensáveis para uma preparação adequada do atleta, o treinador tem procurado oferecer-lhe os serviços de outras colectividades melhor apetrechadas, mas muitas vezes, por razões óbvias, não o consegue.

    Para obstar a estas dificuldades, que urge ultrapassar de imediato, os professores Vítor Duarte e Idalécio Mariani solicitaram uma reunião à vereadora da Cultura e Desporto, na qual lhe sugeriram que tomasse as diligências necessárias para contactar os responsáveis pela antiga GEFA, a fim de possibilitar a utilização das suas instalações durante três a quatro semanas. Na eventualidade destas negociações falharem, alvitraram-lhe, em alternativa, que providenciasse a cedência temporária do Pavilhão da Câmara.

    Satisfeitos com a aparente disponibilidade da vereadora em ajudar, aguardaram esperançados pelo telefonema da dita; todavia … o telefone não tocou. Perante este facto, a funcionária da Secretaria do Ginásio tomou a liberdade de «importunar» o sossego desta nossa vereadora, que deveria ser da Cultura e do Desporto, inquirindo-a sobre a solução encontrada para os atletas. Como o leitor já imaginou, a resposta foi que não tinha solução.

    Mas a imaginação dos homens não deve ser menosprezada. Os citados professores tiraram um coelho da cartola. O Ginásio tem um espaço não coberto, usado para futebol de cinco, e, se bem o imaginaram, assim o fizeram: aproveitaram este espaço para colocarem a pista de 30 metros de Tumbling, onde os atletas, ao frio, ao vento e na semiobscuridade proporcionada por uns fracos holofotes, se preparam para representar Portugal no Campeonato do Mundo.

    E pronto. E ponto final. Que os vereadores não são eleitos (ou nomeados) para resolverem os problemas dos clubes e dos seus atletas; mas tão só para os convidar a abrilhantar os seus saraus, o dia da liberdade e o 1.ºde Maio no Parque José Afonso. E também, naturalmente, para hipocritamente os felicitar quando chegarem do Canadá com alguma inesperada medalha ao peito.

    Vítor Fernando Barros in "o Rio Online"

    Comments :

    0 Comentários to “Da (in)competência da Câmara da Moita”

    Followers

     

    Copyright © 2009 by Moita / Desporto